Aos vinte e três anos que você não pôde completar.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Bom, já faz algum tempo que não te vejo, acho que são dois anos, estou certa? E lembro sempre de você, eu deveria ter esquecido? Tivemos muitos momentos juntas, mas nunca soube reconhecer o tamanho do meu amor por você e demonstrar isso, enquanto pude. E hoje eu sinto saudade de você. Acho que sou meio confusa demais, meio errada demais, meio complicada demais. Eu realmente me arrependo, eu aprendi muito depois de sua partida. Não queria ter aprendido dessa forma.
Eu não sei se você entende. Eu não sei o que é. Sei que depois que você foi, fiquei te encontrando nos caminhos que você fazia, fiquei te encontrando perto de sua casa, fiquei te encontrando em todo lugar. Ainda vejo rostos parecidos com o seu, mas sei que não é você. Assim como bastava eu voltar à realidade pra saber que não era você em nossos encontros por aí.
E ao que interessa: o motivo de te escrever. Eu precisava homenagear você, aos vinte e três anos que você não pôde completar. Faço o que deveria ter feito antes, e que nunca vou me perdoar por não ter feito. Queria voltar aos anos atrás, por mais clichê que isso seja, eu queria mesmo ter ido aí, queria ter te abraçado e dado parabéns, queria ter falado que te amo pra você ficar sabendo que essa pessoa estranha que eu sou te amava.
E eu sei que hoje é só saudade. Não sou eu apenas que sinto. Eu achei que teríamos tempo ainda, tempo de viver o tempo tão grande que habitaria na nossa juventude, assim como habitou na nossa infância. Não tivemos esse tempo, eu não tive tempo e perdi o tempo pouco que tive.
Já faz um tempo e nem em sonhos eu te encontro mais. Nem em sonhos eu posso matar a saudade. Eu realmente me sinto chateada em saber que falhei. Eu sempre falho... Mas eu quero que apesar disso você nunca esqueça que eu realmente amo você. Eu lembro de muitas coisas ainda. De brigas infantis, de brincadeiras, de nossas conversas por mais raras que elas fossem, de tudo. Você é inesquecível. Sempre vai ser. Queria ter passado mais tempo contigo. Eu sei que não adianta isso agora, mas eu preciso falar. Mesmo que você não saiba. Espero que em vida você nunca tenha duvidado do meu amor por você. E espero que em algum lugar você esteja em vida me esperando pra dar o abraço que tanto esperei e não pude dar...

Enfim, daqui a alguns minutos será oficialmente o seu aniversário, e eu repito mais uma vez: Eu sempre amarei você!

1 comentários:

Thata B. disse...

Agora me lembrei de uma carta que você havia escrito pra ela e me mostrou. Lembro que você chorava de um lado e eu do outro. De alguma forma estávamos perto. Engraçado não? "Os três perto".
Enquanto eu lia essa carta, adivinha o que aconteceu? Tipo, tô chorando até agora. rs
É aquele aperto lá dentro que a gente tenta segurar, mas não dá... enfim.